Avalie essa Postagem. :)
Share Button

Como Formar um Grupo Jovem Católico na sua Igreja?

Como Formar um Grupo Jovem Católico na sua Igreja

Como Formar um Grupo Jovem Católico na sua Igreja

Fala Galera Jovem Católica!

Recebemos diversos e-mails de leitores com dúvidas de como iniciar a formação de um grupo jovem.

Nessa postagem vou tentar passaras etapas de como formar um grupo jovem e mante-lo ativo em sua paróquia e diocese.



Formar um Grupo Jovem: O chamado
O chamado deve ser realizado de modo orgânico e convergente, tendo como meta motivar os jovens para um amadurecimento integral. Envolver os jovens que já estão na vida de grupo nestas atividades é uma garantia que a fé vá mais além do grupo de jovens, porque concretiza o que costumamos afirmar com insistência, quando falamos de “jovens evangelizando outros jovens”. Além disso, mostrar a importância de realizar pequenas atividades dentro da paróquia para que sejam, em breve, formadores de opinião.

Formar um Grupo Jovem: Nucleação
Formar um grupo jovem por meio do convite pessoal, pelo testemunho de outros jovens já engajados, após encontros de jovens, nos festivais e eventos artísticos, depois da conclusão do Crisma, nos eventos litúrgicos mais fortes (como a Páscoa), entre tantas oportunidades.

Nessa etapa, as relações pessoais são mais importantes do que a doutrina. Trata-se de uma fase em que o jovem ainda não despertou para a ideia de ser fermento em seu meio. Por isso, é preciso deixar bem claro: o grupo ainda não existe só porque o pessoal está indo aos encontros. Serão necessários alguns meses de reuniões ou encontros para o grupo ser grupo de verdade! Esse tempo de “gestação” poder durar três meses ou mais.

Os jovens vão se conhecendo, se integrando e descobrindo nas reuniões o que é ser grupo, sua importância, os valores de um trabalho em equipe, como organizá-lo, como atuar nele, qual será seu programa e objetivo.

• Formar um Grupo Jovem: Iniciação
Nesse período é fundamental que se tenha em mente que a evangelização do jovem é feita mediante um processo educativo não formal. Formar um grupo jovem não tem relação com aula de religião e doutrina. Transmitir a mensagem por meio da arte, da brincadeira, da música, da dinâmica, da cultura, da expressão corporal, é recuperar o sentido lúdico da evangelização juvenil.

Ainda não é hora de grandes atividades ou projetos. É momento de formação. O jovem descobre o grupo, sua comunidade, vê o problema social, percebe que não está sozinho nessa caminhada e que essa empreitada possui uma organização. É a fase dos conflitos, na qual as limitações começam a aparecer. A questão não é a limitação, mas como ela é encarada. Superando-se essas dificuldades, o grupo torna-se mais unido. Avaliações da caminhada ajudam a vencer estas barreiras.

• Formar um Grupo Jovem: O encontro
O Encontro de Grupo de Jovens (também conhecido como “Reunião do Grupo”) é o momento importante da vida do grupo. É no processo de encontro que o grupo nasce, cresce e amadurece. É o lugar do encontro das pessoas para partilha da vida, para comungar a mística cristã, para assumir como sujeitos de aprendizagem no processo a ser vivido na dinâmica interna do grupo e atitudes e posturas frente à realidade, motivado pela mística cristã.
Deixo aqui alguns pilares que ajudam a criar a dinâmica da formação sistemática para um rito semanal ou quinzenal da reunião. Os ritos são importantes para manter o grupo:

1- Formar um Grupo Jovem, Acolhida – Dê atenção especial para a chegada das pessoas, os cumprimentos a cada um, ajudam a criar um clima de confiança e intimidade. A preparação do local com antecedência, de modo a comunicar o tema através de símbolos, frases ou figuras, é algo que ajuda o grupo a se concentrar.

2- Formar um Grupo Jovem, Relembrando o encontro anterior – É o lugar da memória do grupo. Lembrar os pontos mais importantes que foram tratados, lembrar as decisões tomadas e cobrar as atividades que foram distribuídas entre os membros do grupo.

3- Formar um Grupo Jovem, Olhando a nossa realidade – Considerar que a reunião parte da vida concreta dos jovens, situar no ambiente onde vive. A tarefa deste momento é provocar um tema, um conteúdo a partir de um exercício em que todos os participantes possam ser envolvidos.

4- Confronto com a vida de Jesus/Palavra de Deus – É hora de escutarmos e encaramos nossas vidas e julgamentos a luz da Palavra. Em muitas vezes, quando trabalhamos um tema polêmico, fazer o jovem se perguntar: “Como o Mestre agira diante de tal situação?”, e através da Leitura Bíblica, encontrar a resposta adequada. É um momento de estudo e depois de confronto das atitudes de Jesus diante de um fato semelhante ao vivido pelo jovem.

5- Formar um Grupo Jovem, Oração – Celebrar o que foi descoberto, experimentado torna-se oração. É o momento de contemplação do Amor de Deus para com a humanidade. Este momento não pode ser um ato mecânico de rezar um Pai Nosso e uma Ave Maria.

6- Formar um Grupo Jovem, Avaliar – rever a reunião – Perceber se o objetivo foi alcançado, retomar como grupo as ações assumidas e não assumidas na vida das pessoas.

Dicas Importantes:

Toda reunião deve ter começo, meio e fim. Não podem faltar em um encontro:

Oração Inicial
Dinâmica
Discussão do Tema
Leitura Bíblica
Confronto entre a palavra de Deus e a realidade
Oração Final

Fontes importantes:

Revistas.
Jornais.
Livros.
Internet.
Vídeos / Músicas, etc.

Espero que esse artigo possa realmente  ajudar na formação de seu Grupo de Jovens.

Iaí, vamos agir? 🙂

Um grande abraço e que Deus nos abençoe.

Como formar um grupo jovem em sua paróquia?” saiu da edição de Janeiro/2013 da Revista Ave Maria. CLIQUE AQUI para  Conferir!

Rodrigo de Sá

http://www.facebook.com/rodrigo.silva.sa

Share Button