Carreira – Acabe com as Dúvidas para Escolher sua Carreira.
5 (100%) 1 vote

Dúvidas para Escolher a Carreira / Profissão: Perguntas e Respostas

Escolha da Carreira Profissional. E agora?

A escolha de uma carreira passa por uma série de influências , uma decisão que na maioria das vezes , sofre uma forte pressão social em uma determinada fase da vida. Nota-se que em muitos casos , não há uma orientação adequada para que isso seja feito de forma clara, acarretando em profissionais frustrados no trabalho que exercem. Ainda é possível perceber, escolhas profissionais sendo feitas baseadas em alguns fatores como, seguir a carreira dos pais, considerando a hereditariedade; fatores financeiros e o QI alto para exercer determinadas profissões.

Percebe-se que, com o avanço de pesquisas nessa área, hoje isso vem mudando, a educação tem se reorganizado nesse sentido. O ponta pé inicial, foi através do pesquisador Howard Gardner, que causou forte impacto na área educacional com sua teoria das Inteligências Múltiplas, divulgada no início da década de 1980. Gardner foi buscar evidências no estudo de pessoas com lesões e disfunções cerebrais, o que lhe ajudou a formular hipóteses sobre a relação entre as habilidades individuais em determinadas regiões do cérebro. Através de seus estudos, percebeu que cada indivíduo tem uma forma única de aprender.



Dúvidas para Escolher a Carreira: Perguntas e Respostas

Dúvidas para Escolher sua Carreira: Perguntas e Respostas

Isso se deve ao potencial biológico de cada um. Inteligência, portanto , está ligada à capacidade de resolver problemas , desenvolver projetos e ir atrás para realiza-los. Nesse sentido, Gadner apresenta os tipos de Inteligências:

  • Linguística – Relacionada a leitura, escrita e fala.
  • Musical – Associada àqueles que têm facilidade em compreender o som, captar sua expressão.
  • Lógico-matemática – É a inteligência que remete ao universo lógico, repleto de números e fórmulas.
  • Espacial – Pessoas que têm facilidade em trabalhar com coordenadas espaciais e pensar em imagens, como o arquiteto por exemplo.
  • Corporal-cinestésica – A facilidade em se locomover pelo espaço, conhecer bem o potencial físico do seu corpo e ter boa coordenação motora.
  • Interpessoal – Está ligada à habilidade de lidar com outras pessoas e a trabalhar em grupo.
  • Intrapessoal – É a inteligência relacionada ao autoconhecimento e ao equilíbrio interior, inclusive quando a pessoa se encontra em situações difíceis.
  • Naturalista – Essa inteligência, proposta após a divulgação das ideias de Gardner, está associada àqueles que têm grande facilidade em transitar pela natureza, como os índios.

Considerando essa perspectiva, se pensarmos no físico Albert Einstein quando criança, ele não apresentava nenhum sinal de genialidade, muito pelo contrário, seu desenvolvimento se deu de modo bastante moroso. Porém já nessa fase, apresentava grande interesse em contemplar os mistérios da natureza. Ficou maravilhado com uma bússola que ganhara de presente do pai. “Como é que uma agulha pode se movimentar, flutuando no espaço, sem auxílio de nenhum mecanismo? Sua aptidão lógico-matemática, começava a se revelar desde então. Nesse sentido, o mesmo pode ser dito do jogador Lionel Messi, quando aplica sua inteligência corporal-cinestésica para fazer lances imagináveis com a bola.

O que leva as pessoas a desenvolver capacidades inatas, são a educação que recebem e as oportunidades que encontram. Para Gardner, cada indivíduo nasce com um vasto potencial de talentos ainda não moldado pela cultura, o que só começa a ocorrer por volta dos 5 anos. Segundo ele, a educação costuma errar , quando não leva em conta as várias potencialidades de cada um. Além disso, é comum que essas aptidões sejam sufocadas pelo hábito de se oferecer sempre o mesmo estímulo a todos os alunos.



Você deve estar se perguntando, afinal o que isso tem a ver com a minha carreira?
Eu respondo: Tudo!

É a partir dessa ótica, você pode começar o mergulho dentro de si mesmo. Percebendo quais as suas inteligências predominantes e quais gostaria de desenvolver. Sim, temos mais de uma Inteligência Múltipla e as outras podem ser desenvolvidas. Isso, pode lhe ajudar a fazer uma escolha mais consciente da carreira que deseja seguir.

É claro que o fator financeiro é importante, afinal todos teremos contas a pagar. Porém, o dinheiro deverá ser a consequência do seu trabalho e não a causa. Se fizer uma escolha baseada em seus desejos e potencialidades, terá motivação ( MOTIVAR+AÇÃO), para se aprimorar na carreira. Quando estamos motivados, produzimos as mesmas reações cerebrais de quando estamos apaixonados. No entanto, a paixão costuma acabar depois de um certo tempo se não for alimentada. O que muitos não sabem, é que a motivação pode ser aprendida. (mas isso é assunto para um próximo artigo!) O que precisa saber , é que a motivação tem a ver com meta. Onde eu quero chegar!?

Diante disso, fazer uma escolha profissional somente visualizando fatores financeiros, QI ou para agradar aos pais, terá grandes chances de lhe trazer frustrações.
Deus deu um dom a cada um, cabe a nós descobrirmos, através da busca pelo autoconhecimento o caminho a seguir. Todos nós em algum momento, temos “pontos-cegos”, assim como acontece quando se está dirigindo e não vemos um motoqueiro a poucos centímetros do seu carro pelo retrovisor. Para descobrir o seu ponto-cego, recursos como a terapia e testes vocacionais, podem ajudá-lo a enxergar uma janela de oportunidades a sua espera.

Escrito por: Ana Carolina de Paiva Lima
https://www.facebook.com/psicologacarollima/
Referência Bibliográfica:
FERNÁNDEZ, Alicia. A inteligência aprisionada: abordagem psicopedagógica da criança e sua família. Porto Alegre: Artes Médicas, 1990.
VELOSO, Adriane Foz. A teoria das múltiplas inteligências e distúrbios da aprendizagem. In Revista Psicopedagogia , 1993.